Chocolate Amargo * Greta Benitez


 

Canção Antiqüe

-Um elogio ao trema-


Em passeio por um bairro secreto da cidade, A Moça comprou
escarpins de gelatina vermelha em uma butique chamada “Sorry”.
Em uma delicatessen chamada “Paga lo que Deves”, achou um destilado de cor azul, o “Nick’s Lagoon”. Continuou a caminhada e, chegando na Alameda Lâminas, descobriu a loja especializada em objetos de charme chamada “Canção Antiqüe”. Lá, encontrou a poltrona usada por um escritor que não foi seu amante por um lamentável desencontro de épocas. Achou a almofada sinistra
que uma menina bordava em fins de tarde de sol enviesado,
enquanto tecia também planos macabros, após suas aulas de piano.
Encontrou ainda um candelabro que fazia parte do acervo de um homem elegantíssimo supostamente apreciador de pratos preparados à base de carne humana. Havia também livros antigos pertencentes a uma senhora biliardária que voltou para a sua terra, o país Nona Sinfonia, tendo doado toda a sua biblioteca para este antiquário.
A Moça foi abraçada por um desejo fatal de possuir um deles.
E o escolhido foi este livro velho que – quem diria?
– agora está em suas mãos.


Imagem: Grete Stern

 



Escrito por Greta Benitez às 08h44
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 
Meu perfil
BRASIL, Mulher, de 15 a 19 anos, Livros, Música, gretabenitez@uol.com.br

Histórico



O que é isto?